Surpreenda-se

Cupim heterodoxo

Versão para impressão

O cupim é uma carne diferente das outras. Em primeiro lugar, porque só tem em gado zebuíno – e, por isso, não é conhecida nem por nossos vizinhos (argentinos e uruguaios) nem por europeus ou americanos. As raças produzidas nestes países são de origem europeia e não têm essa grande protuberância chamada cupim. É uma carne muito gordurosa e, curiosamente, dura. Se for magro, é ainda mais duro. Para assar na churrasqueira, você tem duas opções: assar como costela (por muitas horas) ou embrulhar em celofane (apropriado para alta temperatura) e colocar no espeto. Ou, ainda, levar à grelha. Nesse caso, o cupim fica cozido e não assado. É um aperitivo fantástico. Antes de condenar o preparo heterodoxo, experimente. Não seja da turma do não provei e não gostei!!!

Dificuldade
Tempo de preparo

até 2 horas

Serve

8 pessoas

Ingredientes

Modo de preparo

  • 1

  • 5 a 2 kg de cupim

  • 1 pimenta-dedo-de-moça

  • 4 dentes de alho

  • 1 folha de louro

  • sal grosso a gosto

  • farofa e chimichurri para acompanhar

Cozinhe a carne na panela de pressão (cobrindo 3/4 da carne com água) com todos os ingredientes por cerca de 40 minutos após a panela apitar. Retire da panela, corte em fatias de uns 2,5 cm e coloque na grelha (ou frite na frigideira) bem quente. Toste bem de ambos os lados. Corte em tiras e em seguida em cubos. Sirva com uma boa farofa e tempere à mesa com chimichurri (ver receita no blog), o famoso molho uruguaio/argentino.